quarta-feira, 8 de junho de 2016

PASSAPORTE || Lisboa por Tuk-Tuk


Em muitos lugares do mundo eu reconheço a utilidade, importância e obrigatoriedade de visitar a cidade por Autocarros Turísticos. Aliás, foram poucas as cidades que já visitei no mundo e que me escaparam esse Bus. Valem a pena em inúmeros detalhes, pelas descrições históricas e culturais dos lugares, por vermos a cidade num prisma completamente diferente e pelo panorama completo que temos, numa só volta, das principais atracções culturais que a cidade tem para nos oferecer.

Ainda assim, nunca achei que, em Lisboa, os Bus Turísticos resultassem muito. Os guias são óptimos, atenção! E o percurso está bem escolhido... Mas reduzem-se à sua insignificância que é o facto de Lisboa ser mais um Bairro Urbano do que uma cidade cosmopolita.
É certo que há muita coisa possível de ver nas estradas principais de Lisboa, mas a verdadeira essência desta cidade encontra-se quando vamos além das Avenidas e das ruas principais cheias de trânsito. Lisboa descobre-se por dentro. Nas ruelas, nos bairrinhos, naquelas encostas tão íngremes cheias de calçada coçada e que são tão estreitas que nos sentimos a entrar numa artéria do coração de Lisboa. E não há Autocarro Turístico que lá consiga chegar. Não onde Lisboa é Lisboa. E nesta visão turística e de transportes, eu acho que os Tuk-Tuks são verdadeiros transportes turísticos vencedores para esta cidade. E confirmei esta minha teoria antiga quando os experimentei, no passado Domingo.

Pelo seu tamanho e capacidade, conseguem ir às zonas bairristas de Lisboa mais típicas, aos recantos menos conhecidos pelos turistas mas mais especiais, aos miradouros muito mais incríveis do que aqueles que já toda a gente conhece e cruzar ruas e ruelas que jamais carro algum passaria. Tudo isto sempre com narrativa cultural e histórica por parte do motorista (pelo menos na minha viagem). Levou-nos a becos e miradouros completamente improváveis de sequer imaginarmos que uma vista tão incrível podia estar ali, às ruas onde as velhotas conversam umas com as outras pelas janelas e onde as fachadas em azulejo das casas contrastam com a roupa pendurada a secar. Transportou-me a detalhes escondidos do olhar mais geral mas que têm uma enorme importância na História desta cidade. E é um transporte muito acessível de se negociar preços.

Desde sempre que aconselho amigos meus que querem visitar Lisboa a escolher Tuk-Tuks, inclusive em Sintra. A experiência, a oportunidade, os lugares que visitam e a ligação com o motorista (que muitas vezes é um Licenciado em História, como aconteceu no meu caso e que assim tornou a visita ainda mais extraordinária) são uma fusão tão harmoniosa e incrível que saem desta cidade com um olhar muito mais apaixonado e familiar deste lugar que nenhum outro transporte turístico tem a capacidade de fazer.

Fotografia da minha autoria, por favor, não a utilizar sem autorização prévia

3 comentários:

  1. Andar de tuc tuc deve ser muito giro e diferente. Já fiz uma visita guiada a pé por bairros e ruas que normalmente, aos olhos de quem não é de Lisboa, escapam à vista e achei muito interessante, mas o Tuc Tuc, dá para ir a mais sítios, em termos de tempo, e parece ser mais personalizado (até porque não cabe lá muita gente dentro ;) ) Um dia hei-de experimentar

    ResponderEliminar
  2. Aqui em Viseu também já se anda de Tuc-Tuc. É uma moda gira :)

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  3. Deve ser tão giro! Quando vou a Lisboa são milhares a passar de um lado para o outro cheios de turistas, é tão giro!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)