quarta-feira, 19 de abril de 2017

LIVROS || Enzo


Comprei este livro há 10 anos e lembro-me perfeitamente de como o encontrei, porque o escolhi e do momento em que fui ao balcão, para o pagar. Mesmo assim, mesmo tendo lido o resumo na contra-capa e sabendo ao que ia, não fui capaz de o começar. 
No entanto, quando perdi a Laika, lembrei-me imediatamente deste livro e comecei a vasculhar a minha biblioteca inteira, à procura dele.

Esta história de Garth Stein apresenta-nos Enzo, um cão absolutamente adorável, filósofo, velho e que, na véspera do dia em que vai ser abatido, decide rever algumas das memórias mais importantes que viveu junto do seu amado dono, Denny.
Desenganem-se se pensam que vão ler uma versão medíocre de Marley e Eu porque o livro foge completamente de todas as narrativas típicas sobre animais de estimação. A começar, o narrador é o próprio Enzo e a dinâmica do livro tem o objectivo de nos fazer sentir que estamos dentro da sua cabeça, que estamos a presenciar as suas recordações. Outra particularidade é que a história pouco ou nada se centra na vida de Enzo. Não há grandes focos de atenção para as suas asneiras, para a sua vida de cachorro, para a forma como as pessoas lhe dão atenção. Como já referi, este não é mais um livro sobre animais de estimação. Uma outra particularidade da história é que Enzo tem uma enorme vontade de ser um humano e acredita com todas as suas forças que, quando morrer, vai reencarnar numa pessoa.

Existe uma narrativa meio que paradoxal, nesta obra. Os dramas familiares que Enzo vive com Denny são muito pesados e aborda questões como o amor, a amizade, os filhos, desentendimentos familiares, doença, morte, superação... Mas todas estas temáticas são-nos apresentadas por um cão o que, inevitavelmente, torna o relato muito inocente, muito puro. Não é infantil. É a perspectiva dócil de um cão. É tudo o que sempre imaginámos quando nos indagámos "o que será que a/o minha/meu melhor amiga/o pensa disto?"

Claro, não deixa de ter uma componente muito fantasiosa em inúmeros factores, em especial, por ser um cão a filosofar sobre muitas questões da vida e do seu amor pelo dono. Mas, sabem uma coisa? Foi reconfortante. Em momento algum eu projectei a história do Enzo para a Laika - até porque são cães com personalidades beeeeem diferentes - mas ajudou-me a processar o meu luto. É um livro que me fez chorar muito, que me fez rir também, mas que me trouxe alguma tranquilidade e me fez pensar que, talvez, num mundo imaginário, a minha melhor amiga também tenha pensado o mesmo que o Enzo pensou na véspera de morrer. É um livro que eu não posso deixar de recomendar a todas as pessoas que têm um melhor amigo de quatro patas em casa. Dá lágrimas, mas também dá abraços por dentro. Talvez tenha valido a pena esperar 10 anos para o ler.

Autor: Garth Stein
Número de Páginas: 350

2 comentários:

  1. Confesso que não sou fã de ler mas fiquei bastante curiosa com o livro. Nunca tinha ouvido falar mas com certeza o vou procurar quando for a uma livraria! Obrigada pela partilha!!

    Beijinhos!!
    Black Rainbow Instagram

    ResponderEliminar
  2. Estas pequenas coisas que nos aproximam de quem nos faz falta são sempre reconfortantes...e bom, quem não gosta de abraços por dentro? :)

    Jiji

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)